O Espaço

O Espaço Cultural Casa do Lago da UNICAMP é um órgão da Pró-Reitoria de Extensão de Assuntos Comunitários – PREAC – da UNICAMP, espaço inaugurado em 18 de abril de 2002. Localizado no campus da UNICAMP, em Barão Geraldo, cidade de Campinas, possui uma área construida de, aproximadamente, um mil metros quadrados, divididos em sala de cinema, sala multidisciplinar e sala de exposições.

O objetivo principal da Casa do Lago é fomentar o diálogo artístico e cultural dentro do Campus universitário e, também, entre a comunidade acadêmica e os diversos segmentos da sociedade, visando à disseminação de práticas culturais e de instrumentos pedagógicos e educacionais, abrangendo a pluralidade cultural do Brasil, que são elementos importantes para a formação integral e cidadã dos estudantes da UNICAMP de Extensão, de Graduação e Pós-Graduação.

Para atingir seu objetivo principal a Casa do Lago promove espetáculos artísticos, oficinas culturais, seminários e debates acadêmicos envolvendo as produções artísticas e culturais locais, regionais, nacionais e internacionais, nas suas mais variadas formas de linguagens e expressões, valorizando os rituais próprios da vida acadêmica e as datas que marcam o fluxo histórico da vida brasileira e da humanidade.

Tais ações têm como finalidade última a socialização e a integração de alunos, professores, funcionários e a comunidade externa, a qual contribui para a compreensão do contemporâneo e auxilia a pensar o futuro em um ambiente propício à convivência, à liberdade de expressão e ao respeito à diversidade, concorrendo para a melhoria da qualidade de vida na UNICAMP e o desenvolvimento cultural da sociedade.

DOMINGO NO LAGO

O Projeto Domingo No Lago faz parte das inúmeras ações desenvolvidas pelo Espaço Cultural Casa do Lago, órgão ligado a Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PREAC) da Unicamp, que tem o objetivo de oferecer aos funcionários (docentes e técnicos) e seus familiares, e também à comunidade externa, atividades artísticas e culturais, sendo mais uma opção de lazer e cultura na agenda campineira e da Universidade.

VÍDEOS

dnl-16-12-04-id-150x150

dnl-16-10-id-150x150

dnl-16-07-id-150x150

dnl-16_03-id-150x150

 

cine_ferias_16-07

oficinas_15-06-id

 
       

OFICINAS CULTURAIS 2017

 

    

Neste 1º semestre de 2017 o Espaço Cultural Casa do Lago oferecerá um total de 25 oficinas.

Elas serão ministradas por voluntários e estarão abertas à participação do público em geral.

Para realizar a inscrição o candidato deverá:

1º. Entrar no site e conferir a tabela de vagas para escolher a(s) oficina(s) de seu interesse (no máximo 3 oficinas).

2º. Clicar no formulário disponível e preencher todos os dados (não há necessidade de imprimir). Observação importante: o preenchimento do formulário não garante a sua inscrição na oficina. Seu preenchimento é apenas o passo inicial. Sua inscrição apenas estará efetivada após a entrega dos alimentos não perecíveis dentro do período de inscrições abaixo informado.

3º. Depois de preenchido o formulário pela internet, você deve comparecer pessoalmente à Casa do Lago, na Av. Érico Veríssimo 1011, campus universitário, com os alimentos não perecíveis para doação (as opções de doação são: 5 Kg de arroz; ou  5 kg de feijão;  ou 5 pacotes de macarrão de 500g; ou 2 latas de leite em pó).

 

OBS: É NECESSÁRIO APENAS 1 GRUPO DE ALIMENTOS PARA CADA OFICINA INSCRITA.
NÚMERO MÁXIMO DE OFICINAS INSCRITAS POR CANDIDATO: 3.

APENAS PARA ALGUMAS OFICINAS, ANOTAREMOS NOMES PARA LISTA DE ESPERA.

 

Todos os produtos arrecadados serão doados ao Banco de Alimentos de Campinas, cuja finalidade é combater a fome e o desperdício.  Atualmente, o Banco atende a mais de 100 entidades assistenciais. Com a realização das oficinas, a Casa do Lago já doou mais de 30 toneladas de produtos alimentícios.

 

Informação importante: Ao se inscrever em qualquer oficina que tenha a prática de atividades físicas, o candidato deve estar ciente da necessidade de consultar um médico previamente, para estar em boas condições de saúde para realizá-las.

 

 

 

 

INÍCIO DAS INSCRIÇÕES:
06/03/2017, das 9h às 19h, até o dia 10/03/2017.
Ou até o preenchimento das vagas disponíveis.
Apenas no primeiro dia das inscrições, 06/03/2017, abriremos às 8h.

 

ABAIXO O RELEASE DE CADA OFICINA  DO 1° SEMESTRE DE 2017.

INTRODUÇÃO AO VIOLINO

INTRODUÇÃO AO VIOLINO

Prof. Acauan Fortes Normanton

Através de uma dinâmica de grupo se criar um primeiro contato com o violino tendo como principais pontos a trabalhar a expansão da percepção tanto do repertório motor violinístico como auditivo. As aulas consistirão em dinâmicas de grupo em direção a um desenvolvimento de três aspectos básicos, corpo, ritmo e qualidade sonora. Estas dinâmicas irão envolver tanto o trabalho do grupo quanto a busca da individualidade no fazer música com o violino. Requisito: Ter ou se dispor a adquirir um violino, caso não o tenha a primeira aula será uma introdução ao instrumento e uma orientação a compra.

 

SEGUNDAS FEIRAS DAS 09h00 ÀS 10h30 – SALA DE CINEMA – 12 VAGAS

DANÇA DOS POVOS

DANÇA DOS POVOS

Profa. Estela Tozetti

A Dança dos Povos tem como objetivo explorar, em grupo, as singularidades de alguns povos por meio das suas danças circulares e também por pesquisas teóricas. Dança e diálogo como instrumento de reconhecimento de um povo. A humanidade sempre dançou, desde seus primórdios. Venha perceber a singularidade de cada povo por meio dos seus aspectos nas danças circulares sagradas. A oficina será composta por encontros temáticos com 30min de diálogos (utilizando-se de diversos suportes) sobre as características da etnia escolhida e uma hora de prática da dança referente à etnia temática do dia. Na conversa sobre os povos estaremos abordando a cultura, os mitos e a relação com o sagrado, características do território e um pouco de história. E nas práticas de dança estaremos explorando a manifestação artística específica de cada povo, passos e modos de dançar. Nosso instrumento principal é a dança circular sagrada, sistematizada por Bernard Wosien. Há muitas etnias possíveis de serem estudadas; vamos defini-las ao longo da oficina.
Requisito: Gostar de dançar e ter, de preferência, alguma experiência com qualquer tipo de dança.

 

QUARTAS FEIRAS DAS 14h00 ÀS 15h30 – SALA DE CINEMA – 12 VAGAS

SAMBA NO PÉ

SAMBA NO PÉ

Prof. José Henrique de Souza (Henrique Carioca)

Perpassar uma pedagogia de movimentos com figuras e passos de Mitos afro. Apropriar do pé de “dança”, para sambar o samba, seja no seu gingado ou, balanço de quadris. Desenvolver a psicocorporeidade nos Ritmos“lento, moderado e acelerado” e o gênero de Samba no Pé. A musicalidade irar perpassar por: Clara Nunes; Wilson Moreira; Pixinginha; Clementina de Jesus; João da Baiana e repertório de músicas negras. Calçados: sapatos ou sandálias e ou sapatos de Dança de Salão com saltos (pequeno ou médio). Salvo algumas expressões corporais será descalços.

 

TERÇAS FEIRAS DAS 19h30 ÀS 20h30 – SALA MULTIUSO – 40 VAGAS

YOGA PARA TODOS

YOGA PARA TODOS

Profa. Tannistha Om

Esta Oficina de Yoga configura-se em uma atividade leve do yoga adaptada para aqueles que sofrem com doenças crônicas, depressões, ansiedades e etc.; unindo elementos físicos, psicoemocionais e espirituais, trazendo paz interior, disposição e aumento da saúde. A Yoga Tradicional é a aplicação de técnicas do yoga com adaptações para a prevenção ou alívio das doenças mais comuns. Faremos exercícios de equilíbrio, postura, flexibilidade, respiração, meditação e concentração. O Envelhecer e os problemas fazem parte da vida de todos nós, mas é possível passar por estas fases com mais saúde e tranqüilidade. Os praticantes que estão na Segunda e terceira idade também podem desfrutar de todos os benefícios associados à prática.

Indicação:

  • Principalmente para a Melhor Idade,
  • Qualquer idade adulta com problemas de saúde, dores na coluna e articulações que não possam fazer o Yoga tradicional.

Não precisa ser flexível, porém é necessário sentar-se no chão.

Contra indicação:

  • Para aqueles que não conseguem sentar e levantar do chão;
  • Problemas cardiovasculares – somente com permissão médica;
  • Lesões ósseas, articulares e em coluna vertebral – somente com permissão médica.

Recomendamos aos interessados:
Consultar seu médico para saber se pode realizar todas as atividades ou se precisam se adequar de alguma maneira. Importante para 1º dia de aula: trazer Xerox dos laudos de exames laboratoriais e de imagens e também as recomendações médicas.

Para todas as aulas:

  • Nos dias de frio trazer manta e agasalhos.
  • Trazer toalha de banho ou cangas em todas as aulas
  • Trazer almofada fina em todas as aulas, principalmente quem tem problemas na coluna e joelhos.
  • Por uma questão de higiene, aconselhamos trazerem seu tapetinho de yoga para colocar em cima do tatame durante as práticas. (Opcional)

 

TERÇAS FEIRAS DAS 8h00 ÀS 9h15 – SALA MULTIUSO – 40 VAGAS

BORDADO I, TRICÔ I e CROCHÊ I

BORDADO I, TRICÔ I e CROCHÊ I

Profª. Terezinha (Tereza Barreto), Profª. Célia Garcia, Profª. Bia Bicego, Profª. Flávia, Profª. Júnia e Profª. Ana Maria “Anjo Feliz”

O bordado é, como toda arte, uma forma de expressão e linguagem. É um meio de comunicação, uma forma de contar e fazer história. Cada peça e cada trabalho feito exprime as emoções daquele que os criou. Aos poucos os riscos vão ganhando uma forma mágica na qual a força das costuras e dos pontos se transmutam em delicadas e eternas expressões de beleza e arte. Bordar e narrar têm um caráter organizador. Quando se borda ou se narra, recria-se um novo traçado para a própria história, o que dá forma ao próprio milagre da criação. Bordar é a possibilidade de recompor a história da vida, é o fio condutor de diferentes gerações que deixam suas marcas no tempo e no espaço. A arte de bordar guarda no seu ritual relações construídas por muitas gerações de mulheres. Guarda em si não só a delicadeza e o esmero do trabalho, mas as relações interpessoais que são tecidas nos encontros, e a catarse pessoal que se experimenta nos movimentos do vai e vem da agulha. Bordando sonhos, sentimentos, emoções, traumas e medos; cortando aqui, puxando ali, desfazendo um nó acolá, constrói-se, com tecido, agulha, linha e tesoura, um espaço imaginário, espelho da realidade que se deseja.

 

SEGUNDAS FEIRAS DAS 10h00 ÀS 12h00 – ESPAÇO GALERIA
Total 35 vagas (15 vagas para Bordado / 10 para Tricô / 10 para Crochê)

 

 

HATHA YOGA

HATHA YOGA

Profa.Roberta Neves

O propósito do Yoga consiste no equilíbrio entre o corpo e a mente, sendo que quando praticado regularmente, promove benefícios como uma maior consciência corporal, flexibilidade, força, vitalidade, concentração, clareza mental, bem-estar físico e emocional. A oficina é voltada a todos aqueles que desejam vivenciar tais benefícios, envolvendo a realização de posturas (asanas), exercícios respiratórios (pranayamas) e meditação. Pessoas com ou sem experiência anterior na prática podem participar. É recomendado que os praticantes usem roupas com as quais possam se movimentar confortavelmente durante as aulas. Também é recomendado que façam refeições leves, com pelo menos uma hora de antecedência da prática. No caso de uma refeição de digestão mais lenta, recomenda-se esperar de duas a três horas para o início da aula.

 

SEGUNDAS FEIRAS DAS 14h00 ÀS 15h30 – SALA MULTIUSO – 30 VAGAS

DANÇA NEGRA CONTEMPORÂNEA

DANÇA NEGRA CONTEMPORÂNEA

Prof. Carlos Kiss e Priscila Coscarella

A proposta desta Oficina de Dança Negra Contemporânea é desenvolver um trabalho de natureza pedagógica interdisciplinar, apresentando as técnicas da dança negra contemporânea. Oferecer atividades e dinâmicas que contribuam para uma melhor técnica, saúde física e psicológica. Musicalidade – percussão, exploração corporal. Através das Danças Negras Contemporâneas podemos convidar a comunidade a realizar discussões e reflexões de seu cotidiano construindo alternativas para melhorá-los, trabalhando as questões de forma artística, criando coreografias como forma de expressão coletiva. As técnicas possibilitam o desenvolvimento da criatividade e espontaneidade. Utilizaremos técnicas de dança negra contemporânea à dança clássica do Oeste e Sul da África. A metodologia de desenvolvimento da atividade é composta por vivências teóricas, história das danças, anatomia, utilização dos movimentos, princípios corporais da dança negra. Enquanto vivências práticas serão trabalhadas a preparação corporal, o alongamento, a tremulação, a ondulação, posições corporais, movimento espacial, temporal, gravitacional, fluência, criatividade, relaxamento e dinâmica de grupo.
Os alunos entrarão em contato com os instrumentos de percussão e terão uma breve experiência com as técnicas para toca-los. Público: acima de 16 anos, funcionários, alunos e interessados em dança.

 

SEXTAS FEIRAS DAS 20h00 ÀS 21h30 – SALA MULTIUSO/ESPAÇO GALERIA – 15 VAGAS

DANÇA INTEGRATIVA

DANÇA INTEGRATIVA

Profs. José Henrique de Souza (Henrique Carioca) e Melissa Oliveira

Essa oficina vai dançar a potência de elementos em sua data de nascimento, relembrando sua ancestralidade. A performance fica por conta do participante de criar seus personagens e deixar ser tocado por imagens, desenhos, objetos,diferentes sons de instrumentos que atravessam o corpo. Pré-requisito: Profissionais de áreas afins, que trabalham com as práticas de cuidado à saúde na Diversidade. Ou pessoas da comunidade interna e externa de Campinas.
Observação importante: Solicitamos o envio de um E-mail comentando sobre o motivo que o fez se interessar por esta oficina. Enviar para:  hcdiversidades.unicampfe@gmail.com

 

TERÇAS FEIRAS DAS 20h30 ÀS 21h30 – SALA MULTIUSO – 40 VAGAS

INICIAÇÃO MUSICAL EM VIOLÃO II

INICIAÇÃO MUSICAL EM VIOLÃO II

Professor: Kauê R. Beck Norder / Coordenação: Profª Drª Vivian Nogueira

Esta oficina é voltada àqueles que já tiveram o primeiro contato com o violão e desejam aperfeiçoar esse conhecimento.
Conteúdo: Acordes maiores e menores; Dedilhados; Melodia e Acompanhamento. Muito importante a regularidade da presença.
Pré-requisito: Montar os acordes básicos (A, C, D, E, G); Saber o nome das cordas do violão
Observação importante: A ausência nas aulas eliminará o inscrito por falta, abrindo a vaga para alunos em lista de espera. Cada aluno deve trazer seu próprio instrumento (violão) para as aulas desta oficina. É recomendado também possuir e trazer um afinador digital, bem como um banquinho de apoio.

 

TERÇAS FEIRAS DAS 18h00 ÀS 19h15 – SALA MULTIUSO – 20 VAGAS

 

KYUDO

KYUDO

Prof. Lucas Lins

弓道 Kyudô 日本武道 (Nihon Budô) é uma das Artes Marciais Japonesas. Compreende a aprendizagem e a prática do arco e flecha japonês. O Kyudô por diversos fatores históricos, ficou muito cedo militarmente obsoleto, tornando-se facultativo e pioneiro em um difícil processo de desmilitarização. A prática consiste nos princípios de tiro (shaho) e de movimentação (taihai) divulgados pela ANKF (All Nihon Kyudo Federation).

O Kyudô em Campinas é uma iniciativa da Brasil Kyudo Kai que desde 2007 com pequenos gestos de diplomacia entre as nações, pode acumular equipamento suficiente para a expansão da arquearia japonesa no Brasil.

 

SEXTAS-FEIRAS DAS 13h45 ÀS 15h30 – SALA MULTIUSO – 30 VAGAS
(COM MAIS 30 VAGAS NA LISTA DE ESPERA A SER CONVOCADA POR EMAIL NA METADE DO SEMESTRE, DIA 19 DE MAIO)

 
FRANCÊS

FRANCÊS

Profa. Elizabeth Mauerberg

Levar o aluno a compreender e utilizar expressões cotidianas e frases simples; formular perguntas e respostas básicas sobre aspectos pessoais, como local onde vive, as pessoas que conhece e as coisas que tem; comunicar-se de forma simples, com interlocutores que falam clara e pausadamente.
Levar o aluno a conhecer um pouco da cultura francesa: moda, gastronomia, artes, literatura, música, cinema, teatro, perfumaria, entre outras coisas.
Observações: (Nível básico) O curso é para iniciantes e os inscritos devem ter idade mínima de 12 anos.

 

TERÇAS FEIRAS DAS 14h00 ÀS 15h30 – SALA DE CINEMA – 30 VAGAS

ROPE SKIPPING (CORDA ACROBÁTICA)

ROPE SKIPPING (CORDA ACROBÁTICA)

Profas. Melissa Mendes e Bárbara Ribeiro

O rope skipping (ou corda acrobática) é um esporte muito popular na Europa e na América do Norte e consiste em realizar acrobacias enquanto pula cordas (para quem já viu o filme “Jump In” da Dysney sabe do que se trata). Considerado um exercício leve – moderado para o praticante amador, é uma atividade de alto impacto, por isso pessoas com problemas nos joelhos são desaconselhadas a praticá-la.
Nessa oficina, trabalharemos com duas modalidades de rope skipping: individual e double dutch. Na modalidade individual, cada aluno realizará saltos sozinho, em duplas, ou pequenos grupos, com uma corda proporcional ao seu tamanho. Na modalidade double dutch, enquanto duas pessoas batem duas cordas ao mesmo tempo, o aluno salta, individualmente ou em dupla.
Observação importante: Nenhum tipo de preparação física ou acrobática é necessário para participar das aulas, sendo os únicos pré-requisitos não apresentar problemas nos joelhos e comprar uma corda individual. É aconselhável usar uma roupa leve e tênis com amortecedores durante as aulas.
COMO COMPRAR SUA CORDA: Antes de comprar sua corda, meça-a da seguinte forma: em pé, com a corda esticada, pise-a aproximadamente no meio com um pé. As manoplas (lugar onde você segura a corda para bater) devem estar na sua axila. Veja foto abaixo.

Rope_2

Há diversos modelos, compre aquele que você mais gostar, desde que seja do seu tamanho.
Ainda está em dúvida se quer vir pular com a gente? Dá uma olhada nesses vídeos para ver o que vamos fazer juntos:

https://www.youtube.com/watch?v=PUWg7fXnCf0
https://www.youtube.com/watch?v=zoMYU_nOGNg

 

 

SEXTAS FEIRAS DAS 16h00 ÀS 17h00 – SALA MULTIUSO – 20 VAGAS

KUNDALINI YOGA

KUNDALINI YOGA

Prof. Quimet Rosa

A Kundalini Yoga foi trazida ao Ocidente nos anos 60 e é conhecida como o Yoga da Consciência. Suas práticas são dinâmicas, energizantes e objetivas. Fortalece, alonga e relaxa a musculatura. Aumenta a capacidade respiratória e o nível de vitalidade física e psíquica. Estimula a harmonia dos sistemas nervoso e glandular, sincronizando-os com a rede de meridianos e chakras. Desta forma ajuda a tranquilizar o emocional, fortalecer o sistema nervoso, liberar medos e inseguranças e a melhorar o desempenho nos desafios da vida de forma criativa. Através da prática da Kundalini Yoga o ser humano pode unir sua consciência cotidiana à sua consciência superior, de forma regular ou diária, praticando uma sequência de PRANAYAMAS (exercícios respiratórios), BHANDAS (contrações corporais), KRIYAS (jogos completos de exercícios) e utilizando-se ASANAS (posturas), MUDRAS (gesticulação com mãos, dedos ou braços) e MANTRAS (palavras cantadas) combinadas. Quando a praticamos potenciamos a criatividade em todos os aspectos da vida diária. Este é o resultado prático da Yoga.

 

SEXTAS FEIRAS DAS 8h00 ÀS 9h30 – SALA MULTIUSO – 60 VAGAS

CONSTELAÇÃO FAMILIAR

CONSTELAÇÃO FAMILIAR

Facilitadora:  Maria Cimélia Garcia

A Constelação Familiar foi criada por Bert Hellinger, fundador da Hellinger Science – a ciência universal das ordens do convívio humano, uma ciência aberta com movimentos em direção à paz. Seu trabalho é realizado e divulgado em diversos países em várias áreas do conhecimento e dos relacionamentos humanos. É uma abordagem empírica, sistêmica e fenomenológica – uma terapia breve e precisa, orientada para a solução de problemas, na qual os princípios básicos são fundamentados pelas Ordens do Amor que atuam a partir do sistema familiar em que somos ligados por laços profundos passados de geração a geração, muitas vezes, interrompidos e em desordem. Na Constelação o sistema da pessoa é representado em torno de temas pessoais que poderão eventualmente ser trabalhados, formando uma imagem das dinâmicas ocultas que interferem negativamente na vida: nas questões familiares, amorosas, profissionais, financeiras, comunicação, saúde física e emocional. Durante a oficina serão realizadas vivências com o grupo de participantes para que cada um possa perceber na prática o que a terapia proporciona como possibilidades de viver melhor e mais livre. Com sua participação você contribuirá de forma especial e efetiva para o seu sistema e do outro, trazendo benefícios pessoais, familiares e coletivo.

 

SEXTAS FEIRAS DAS 20h00 ÀS 21h30 – QUINZENAL – SALA MULTIUSO – 35 VAGAS

MEDITAÇÃO

MEDITAÇÃO

Profa. Maria do Carmo e Prof. Volker

Nessa oficina, pratica-se a meditação de atenção plena (meditação zen). São dois períodos de meditação na posição sentada e em silêncio, sem se mover, interrompidos por um período de meditação andando lentamente. Atenção plena significa observar com uma mente alerta tudo que está surgindo na própria mente a cada momento, sem julgar, bloquear ou se apegar a esses pensamentos. Para a meditação sentada existem cadeiras e também tatames, para quem preferir se sentar no chão. Nesse caso, os participantes devem trazer um cobertor para ser enrolado, sobre o qual cada um se senta, permitindo uma postura mais confortável. Atenção: como muitas pessoas desistem depois das primeiras vezes, antes de se inscrever nessa oficina, sugere-se a quem for iniciante que experimente, em casa, ficar sentado imóvel e em silêncio, durante dez minutos.


 

QUARTAS FEIRAS DAS 17h15 ÀS 18h30 – SALA MULTIUSO – 100 VAGAS (LISTA DE ESPERA PARA 60 PESSOAS)

BIODANZA

BIODANZA

Profa. Janaína Fontebasso

 A Biodanza é um sistema de integração humana, reeducação afetiva, renovação orgânica e reaprendizado das funções originárias da vida, que consiste em promover vivências integradoras por meio da música, do canto, do movimento e de situações em grupo. 
Propõe:  Autoconhecimento para o fortalecimento da identidade nas relações consigo, com o outro e com a totalidade;   o resgate da autoestima; a potencialização da criatividade diante de situações cotidianas; a percepção de estratégias solidárias de ação na vida; o redescobrimento do poder da afetividade nas relações humanas; a  reflexão sobre os valores contidos no princípio biocêntrico ( vida no centro ) para um caminho sustentável; e, a melhora nas relações do cotidiano, com o aprofundamento da fluidez.
PARA QUE?  Para que as pessoas tenham autonomia, motivação, assertividade e reaprendam a caminhar pela vida de maneira mais flexível e saudável, envolvendo-se com maior confiança e cooperação na construção de novas relações baseadas na aceitação.
Público: Comunidade Universitária: Professores, alunos e funcionários.

 

QUARTAS FEIRAS DAS 14h00 ÀS 15h40 – SALA MULTIUSO – 50 VAGAS

CONTATO IMPROVISAÇÃO PARA INICIANTES

CONTATO IMPROVISAÇÃO PARA INICIANTES

Profa. Marília C. G. Carneiro  

Equipe
Estagiário: Lucas Vicente Rosseto
 

Nesta oficina, propomos a investigação da prática de improvisação em dança Contact Improvisation (Steve Paxton). ​Vamos trabalhar amplamente a experiência somática na forma dançada. Contato Improvisação​ é um estudo do movimento desenvolvido pelo bailarino, ginasta e coreógrafo Steve Paxton nos anos 1970 nos EUA. Em plena época de contestação das estruturas sociais, o Contact tem como proposta a construção de situações em que o corpo possa criar novas formas e possibilidades de movimento: novas relações do corpo com a gravidade, com a inércia, com o chão, com ele mesmo e com outros corpos. É um trabalho de improvisação, fundamentado numa síntese entre o Yoga, o Aikidô e a Dança Contemporânea, que busca a qualidade de surpreender-se, encontrando o inesperado dentro do movimento e das condições dadas. Também é um jogo, uma negociação de corpos que se comunicam através do movimento. O Contato Improvisação ainda abre campo, dentre os inúmeros possíveis, para o estudo sobre novas formas de interação entre a dança e a música improvisadas, encarando a dança como matéria prima e geratriz do fazer musical, ao contrário da prática habitual. Dica: Vestir roupas confortáveis, chegar no horário e ter disponibilidade para estar presente em todas​ as aulas. 
Público: Qualquer pessoa que nunca tenha se beneficiado das oficinas gratuitas de Contato Improvisação na Casa do Lago pode participar. Não é necessário experiência com CI, com Dança ou qualquer outra. Homens e mulheres de qualquer idade são bem-vindos.
Importante: Se você já se beneficiou alguma vez da oficina de "CI" na "Casa do Lago" veja aqui onde continuar seus estudos de Contato Improvisação em Barão Geraldo: http://www.blogs.ea2.unicamp.br/mucina/ci/

Pré requisito: O aluno deverá ser iniciante, sem nenhuma experiência em "Contato Improvisação".

OBS: Para saber mais informações sobre o Contato Improvisação acesse:
https://www.youtube.com/watch?v=k768K_OTePM&t=2s 
https://youtu.be/nOHazo-dpK0  
http://www.contatoimprovisacao.wix.com/cibr
https://contactquarterly.com/  
http://www.praticasdemovimento.wordpress.com  

MUCíNá Contato Improvisação

TERÇAS FEIRAS DAS 14h00 ÀS 16h00 – SALA MULTIUSO – 25 VAGAS (+25 vagas lista de espera)

TEATRO

TEATRO

Profa. Jeniffer Francisco

Oficina destinada para atores e não-atores iniciantes. Objetiva-se fazer jogos teatrais do Teatro do Oprimido, desenvolvido pelo Dramaturgo criador do Teatro do Oprimido, Augusto Boal. A Oficina terá duração de um semestre com aulas quinzenais.

 

TERÇAS FEIRAS DAS 19h30 ÀS 21h00 – aulas quinzenais – ESPAÇO GALERIA – 20 VAGAS

BORDADO I e II, TRICÔ I e CROCHÊ I

BORDADO I e II, TRICÔ I e CROCHÊ I

Profª. Tereza Barreto (Terezinha), Profª. Célia Garcia, Profª. Bia Bicego, Profª. Flávia e Profª. Júnia

O bordado é, como toda arte, uma forma de expressão e linguagem. É um meio de comunicação, uma forma de contar e fazer história. Cada peça e cada trabalho feito exprime as emoções daquele que os criou. Aos poucos os riscos vão ganhando uma forma mágica na qual a força das costuras e dos pontos se transmutam em delicadas e eternas expressões de beleza e arte. Bordar e narrar têm um caráter organizador. Quando se borda ou se narra, recria-se um novo traçado para a própria história, o que dá forma ao próprio milagre da criação. Bordar é a possibilidade de recompor a história da vida, é o fio condutor de diferentes gerações que deixam suas marcas no tempo e no espaço. A arte de bordar guarda no seu ritual relações construídas por muitas gerações de mulheres. Guarda em si não só a delicadeza e o esmero do trabalho, mas as relações interpessoais que são tecidas nos encontros, e a catarse pessoal que se experimenta nos movimentos do vai e vem da agulha. Bordando sonhos, sentimentos, emoções, traumas e medos; cortando aqui, puxando ali, desfazendo um nó acolá, constrói-se, com tecido, agulha, linha e tesoura, um espaço imaginário, espelho da realidade que se deseja.
A oficina Bordado I e II / Tricô I e Crochê I  é direcionado para iniciantes e possui um Livro Didático: Canções Bordados e Aromas (será disponibilizado apostila na 1ª aula).

Observação importante:
A oficina
Bordado II – Trocas de experiências, aprimoramento e convivência de bordadeiras consiste na continuidade da aula de Bordado anterior (Bordado I), no mesmo espaço, para alunas que já possuem conhecimentos de bordado e vem participando das aulas desde 2013. Esta prática terá conteúdos motivacionais direcionados pelas professoras: Profª Hebe Gardesani, Profª Célia Garcia, Profª. Bia Bicego, Profª. Flávia, Profª Júnia, Profª Nela Paredes, Profª Vânia Furlan, Profª Ana Maria “Anjo Feliz” e Profª Tereza Barreto.

 

SEXTAS FEIRAS DAS 10h00 ÀS 14h00 – ESPAÇO GALERIA
Total 35 vagas (15 vagas para Bordado I e II / 10 para Tricô I / 10 para Crochê I)

FORRÓ

FORRÓ

Prof. Jhony (Jonathas Tanaami – Responsável) e Equipe

Equipe:
Thiago Orsim
Suzana Fonseca Orsim
Vinicius de Novaes
Daniela Spadacio
Vornei Augusto
Juliana Oliveira
Fabiane Nany Salles
Giovanni Ronnie Almeida
Greisiane de Fatima Bento da Silva
Priscila Palma Sanchez
Sulamita Scatena Marão Ribeiro
Felipe
Sarah
​Rodrigo Mologni

Objetivos Oficina Forró:
– Inclusão Social;
– Promover a amizade por meio da dança Forró e dinâmicas;
– Divulgar o Forró e a Cultura Brasileira!

Da evolução da dança, da Tradicional pé-de- serra a Forró Universitário: o Forró é rico e sua dança é feita com vários ritmos musicais do nordeste, como Xote, Baião, Xaxado. O xaxado, definido por Luís Gonzaga como a dança dos cangaceiros, é dançado em círculo e em fila indiana, sem volteio, avançando o pé direito em 3 e 4 movimentos laterais e puxando o esquerdo, num rápido e deslizado sapateado. O nome da dança, desta forma, é uma onomatopéia do som característico produzido pelas sandálias arrastadas no chão. O Baião é um dos principais gêneros musicais constituintes do Forró, e tem como autor e principal expoente Luís Gonzaga. Sua popularização ocorreu com a vinda de Gonzaga para o Rio de Janeiro, na década de 1940, o que fez com que o baião fosse cada vez mais difundido.O Xote Assim como o Baião, tem um ritmo binário mais lento que a polca. No início dos anos 90, universitários da USP (Universidade de S. Paulo) começaram a fazer festas e contratar trios de forró tradicional, ou seja: zabumba, triângulo e sanfona “forró pé-de- serra”, a dança que era dois pra lá dois pra cá (que veio da polca), com poucas variações de passos, começou a ganhar passos influenciados pelo rock anos 50, ou rockabilly, Samba Rock entre outros. E os conhecidos “Trios de forró” começaram a introduzir outros instrumentos juntamente com a tradicional Zabumba, triângulo e Sanfona e viraram Bandas de forró como o conhecido Trio Virgulino. Assim surgiu o conhecido Forró Universitário. O auge do estilo se deu na virada século XXI com a chegada de grupos como o Falamansa, além, é claro, dos tradicionais trios que ganharam mais espaço com a grande exposição. Atualmente o ritmo se apresenta largamente difundido por todo o Brasil. Outros grupos musicais que também merecem destaque como Rastapé, Circulado de Fulo, Bicho de Pé, Mestre Zinho, Forrueiros, Trio Dona Zefa, Estakazero, Peixe Elétrico, etc.

 

SEXTAS FEIRAS DAS 17h30 ÀS 19h30 – SALA MULTIUSO – 55 VAGAS PARA MULHERES E 65 VAGAS PARA HOMENS

CAPOEIRA

CAPOEIRA

Prof. João Neto

A capoeira é uma expressão cultural brasileira que mistura arte marcial, esporte, cultura popular e música. Desenvolvida no Brasil principalmente por descendentes de escravos africanos, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando primariamente chutes e rasteiras, além de cabeçadas, joelhadas, cotoveladas, acrobacias em solo ou aéreas.  Uma característica que distingue a capoeira da maioria das outras artes marciais é a sua musicalidade. Praticantes desta arte marcial brasileira aprendem não apenas a lutar e a jogar, mas também, muitas vezes, a tocar os instrumentos típicos e a cantar. Outras expressões culturais, como o maculelê e o samba de roda, são muito associadas à capoeira, embora tenham origem e significados diferentes.

 

TERÇAS FEIRAS E SEXTAS FEIRAS DAS 12h00 ÀS 13h30 – SALA MULTIUSO OU GRAMADO EXTERNO – 60 VAGAS

TAEKWONDO

TAEKWONDO

Profs. Ricardo e Lucas

“Caminho dos pés e mãos” Essa é a tradução do tae kwon do, arte marcial nascida na Coréia do Sul há dois mil anos. Indicada para todos os públicos, sua prática é um convite à saúde: melhora o desempenho cardiovascular, aumenta a resistência física e ainda estimula o ganho de massa magra. Outra vantagem é que os treinos investem em exercícios de alongamentos, aumentando a flexibilidade do corpo. O tae kwon do também trabalha todos os grupos musculares, especialmente os das pernas, glúteos e abdômen. A aula de tae kwon do é composta por atividades aeróbicas e técnicas de defesa e ataque. Por ser um esporte altamente aeróbico, há grande queima de gordura. Outra vantagem é que a modalidade prega a antiviolência e ensina conceitos de disciplina, o que faz dela uma boa opção para crianças e adolescentes.

 

TERÇAS FEIRAS DAS 10h00 ÀS 11h30 E QUARTAS FEIRAS DAS 16h00 ÀS 17h00 – SALA MULTIUSO – 50 VAGAS

FOTOGRAFIA PARA INICIANTES

FOTOGRAFIA PARA INICIANTES

Prof. Celso Palermo

A fotografia é uma técnica e uma arte simultaneamente. Destaca-se o desenvolvimento da capacidade de observação daquilo que os cerca, dando uma consciência social, ao adquirir um novo olhar para as pessoas e coisas do dia-a-dia. A aprendizagem em fotografia obriga a observar melhor, a estar mais atento àquilo que acontece e porque é que acontece, obriga a estar mais concentrado antes e durante o ato fotográfico. Esta oficina será dirigida para iniciantes; pessoas que não possuem experiência como fotógrafos.

 

SEGUNDAS FEIRAS DAS 14h15 ÀS 15h15 – SALA DE CINEMA – 50 VAGAS

PRÁTICA DE SWÁSTHYA YÔGA

PRÁTICA DE SWÁSTHYA YÔGA

Profa. Adriana Hassan Bronze

Desde as suas origens, a essência do Yôga está no embasamento prático, cuja metodologia é baseada em exercícios que ensinam, por exemplo, como trabalhar o corpo através de técnicas corporais de força, flexibilidade  e equilíbrio, porém que respeitam o ritmo biológico do praticante. Técnicas essas que ensinam como respirar melhor, descontrair-se, concentrar-se mais, aumentar a saúde e a expectativa de vida, meditar e atingir estados mais amplos de consciência. O Yôga que praticamos tem raízes tantra-sámkhya, ou seja, é uma abordagem extremamente técnica, dinâmica e sem traços religiosos; é sensorial e desrepressor, pois respeita e valoriza os limites do corpo, sua beleza, sua saúde, seus sentidos e seu prazer. Por esta razão, os ásanas (procedimentos corporais) são executados de maneira sincronizada e harmoniosa. Outro aspecto a ser destacado diz respeito aos resultados: extremamente rápidos e de desdobramentos duradouros, com implicações muito positivas na alta performance desportiva, artística e profissional. Em síntese, o Yôga é uma ferramenta para o autoconhecimento que amplia seu espectro de qualidade de vida; é um instrumento perfeito para quem deseja melhorar o desempenho em qualquer área. Para um melhor aproveitamento das técnicas desenvolvidas, recomenda-se uma alimentação de fácil e rápida digestão, preferencialmente 2h antes da prática, caso não seja possível é aconselhável uma refeição leve.

 

QUINTAS FEIRAS DAS 09h00 ÀS 11h00 – SALA MULTIUSO – 50 VAGAS

RODA DE DANÇA CIRCULAR

RODA DE DANÇA CIRCULAR

Profa. Cristina Bannwart

A dança de roda traz uma proposta de que não existe um indivíduo superior ao outro, uma vez que todos estão à mesma distância do centro da roda e todos dançam juntos no mesmo ritmo. São danças e músicas tradicionais de vários povos que trazem a sua história e um pouco da tradição local com informações ancestrais e uma sabedoria universal. Em cada encontro descobrimos um pouco mais sobre nós mesmos, uma vez que a Dança pode ser um instrumento de expansão da consciência, de auto cura, de integração social e celebração.

QUARTAS FEIRAS DAS 8h15 ÀS 09h45 – SALA MULTIUSO – 40 VAGAS

Mães no Lago

Uma sessão de cinema para as mamães,
toda especial para receber seus bebês junto com vocês.
Com luz, som e climatização adaptados, e trocador de fraldas dentro do cinema, à disposição.

SIGA-NOS

facebook2   FACEBOOK                                                        twitter  TWITTER

Cinema

O Espaço Cultural Casa do Lago oferece gratuitamente sessões de cinema de segunda a sexta feiras, sempre as 16hrs e as 19hrs.  A programação é alterada semanalmente, sendo um filme diferente a cada dia da semana.

CALENDÁRIO DE EVENTOS

Verifique os Eventos em nosso AGENDAMENTO, e programe-se, para aproveitar tudo que oferecemos à Você!

CLIQUE AQUI

PARCEIROS

Unicamp 50 Anos    logo    Banner-agenda-1    Gui C     02 canarinhos    04 Stecca    01 ocu

ORGÃOS DA PREAC – PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO