(05 a 19/12) Trabalhos da Oficina “Vivenciando a Arte na Unicamp”

(05 a 19/12) Trabalhos da Oficina “Vivenciando a Arte na Unicamp”

Exposição: AS QUATRO ESTAÇÕES
Participantes da Oficina de Pintura a Óleo sobre Tela
Apoio: GGBS – Grupo Gestor de Benefícios Sociais
Local: Galeria do Espaço Cultural Casa do Lago
Abertura: 05 de dezembro, às 12 h
Visitação: de 05 a 19 de dezembro
De segunda a sexta, das 09h às 21h

Exposição dos trabalhos desenvolvidos nas aulas de pintura a óleo do projeto VIVENCIANDO A ARTE NA UNICAMP, ministradas pela artista plástica e funcionária do Grupo Gestor de Benefícios Sociais, Márcia Cristina Quaiatti Antonelli. As atividades são oferecidas pelo GGBS aos funcionários e professores da Unicamp, ativos e aposentados, assim como aos participantes do Programa Universidade.

O projeto tem como objetivos: estimular a imaginação e a criatividade, desenvolver a percepção visual, promover bem-estar físico e psíquico, provocar maior interesse pela
apreciação e produção artística, gerar autoconhecimento e autovalorização, proporcionar o convívio e a integração entre os funcionários,
Mais informações: marcia.antonelli@reitoria.unicamp.br

“As estações do ano revelam a beleza que se esconde na harmonia dos contrastes!” Primavera – Na vida é manhã de domingo cheia de pureza, em que repicam os sinos da
inocência. Folguedos ingênuos, correrias no campo. Travessuras nas árvores. Meninas pulando corda à brisa de setembro. Entardecer suave e perfumado, em que uma canção de
roda diz até logo para o sol, boa noite para as estrelas. Verão – Todo contraste. Sol abrasador e brisas de doçura. Dias ofuscantes. Noites profundas. Vida, entusiasmo e força. Manhãs claras e tardes de tempestades. Nuvens negras e arco-íris coloridos. Outono – Nele as árvores executam um grande coral, em que as cores, como vozes, estendem-se do vermelho ao dourado, da glória à nobreza. Do amarelo pálido, ao rubro, não há matriz que não possa ser visto. Uma árvore tem um amarelo suave, outra parece arder em fogo, outra ainda se veste de um manto de ouro velho. Inverno – Árvores desfolhadas estendendo seus ramos despojados na paisagem cinzenta. Elas perderam suas folhas e seus frutos, sua beleza e sua riqueza. Ficam solitárias, aparentemente estéreis e mortas. Elas renunciaram à maravilha de suas folhagens e à fecundidade de seus frutos, e o vento já não canta em suas ramagens.

OrlandoFedeli – MONTFORT – Associação Cultural